Melatonina

Perchè usarla

1. Porque é produzida com o método GMP

2. Porque é extraída do cacau
A melatonina é um aminoácido segregado pela glândula pineal.
Nasce como triptofano e, ao variar da temperatura corpórea e da luz, é transformado em serotonina durante o dia; com a escuridão transforma-se em melatonina, deste modo, se extraída do cacau (rico de serotonina) será de melhor qualidade.

3. Porque contém orotato de zinco
... Porém, eu teria uma pergunta a fazer: em relação à administração de melatonina com zinco; porque esta combinação? Porque nos mesmos anos em que trabalhei nas pesquisas sobre a melatonina, no INRCA de Ancona (Instituto de pesquisas gerontológicas Nino Masera), os pesquisadores Nicola Fabris, Eugenio Mocchegiani e colegas, há anos trabalhando no estudo dos efeitos imunoestimulantes e anti-envelhecimento do zinco, no contexto de uma teoria sobre a origem e o curso da senescência, realizaram uma pesquisa sobre os doentes de SIDA. Assim, fizeram a extraordinária observação que o zinco, administrado por via oral, era capaz de prevenir em grande parte as chamadas doenças oportunistas de várias naturezas (viral, micótica, bactérica e parasitária) que afectam infalivelmente os doentes de SIDA com forte imunodepressão. Estes importantes trabalhos foram publicados nas revistas médicas Joumal of the American Medical Association (JAMA), em 1988, e no Joumal of Nutrition, no ano 2000. Portanto, a conclusão foi lógica: o zinco é capaz de prevenir as doenças oportunistas da SIDA; - e a melatonina? Na primeira metade dos anos noventa, eu mesmo e outros tínhamos realizado estudos, publicados mais tarde em revistas especializadas, nos quais tínhamos observado como a melatonina, sozinha, é capaz de reconstruir os níveis de zinco no sangue de animais senescentes. Tornava-se, assim, clara a existência de uma relação directa entre o zinco e a melatonina; além disso, suas acções manifestavam-se como sinérgicas na reconstrução da imunidade no curso do envelhecimento! De facto, sabe-se que a carência de zinco é um parâmetro que certamente participa no envelhecimento (seus níveis diminuem constantemente com o passar dos anos). Com base nestes entusiasmantes resultados experimentais e clínicos, que relacionavam-se com a rápida recuperação da imunidade através do binómio zinco-melatonina, passei à formulação de uma associação entre melatonina e zinco. Na fase seguinte, ou seja, relativa às provas clínicas sobre o uso da melatonina, associada a um composto orgânico de zinco, o orotato (que tem a vantagem de ser absorvido melhor nos processos orgânicos, nos quais o zinco é parte essencial de mais de duzentas enzimas), identifiquei nos pacientes africanos de SIDA o terreno ideal para a avaliação de tal associação de elementos, sem toxicidade e sem efeitos colaterais, mesmo devido ao baixo custo da melatonina, e considerando o estado de extrema pobreza das populações africanas. (Notas extraídas do livro “Cento e vinte e passa, de media” do Prof. Walter Pierpaoli e Pippo Zappulla).



www.keymelatonin.com
web stats